A Importaria espiritual na saúde

A minha busca espiritual parecia estagnada, pois sentia faltar algo, como se fosse a grande chave de um quebra-cabeça. Apesar do consolo momentâneo experimentado por leituras e insights espirituais, sentia falta de uma compreensão existencial mais profunda, situação que me rendia muitos momentos de angústia interior, ao tempo em que me estimulava a devorar avidamente livros em uma busca incessante por alguma coisa muito vaga, da qual não fazia a menor idéia do que fosse.

Curiosamente, o primeiro livro espiritualista que li, anos antes, quando comecei a conscientemente me interessar por assuntos do tipo – “As Sete Etapas de Uma Transformação Consciente, de Glória Karpinsky – remetia algumas de suas idéias interessantes a um livro denominado Um Curso em Milagres . Quando conferi a parte de referências bibliográficas, observei que, além do título estar escrito em Inglês, idioma
Lucianna

que não domino, não havia menção de autoria, fato que me deixou bastante frustrada e, de certa forma, intrigada…e que continuou se repetindo na leitura de sucessivas obras, igualmente inspiradoras, pelo período consideravelmente longo de sete anos.

Em um dia de dificuldade extrema, lidando com sentimentos negativos decorrentes de relacionamentos não curados, pedi a Deus, com sinceridade, que me mostrasse um caminho. No dia seguinte, por “coincidência”, tive contato com Dra. Ângela durante uma consulta médica, marcada meses antes, e ela me falou enfaticamente de um livro “maravilhoso” chamado Um Curso em Milagres. Na hora, eu me lembrei daquelas inúmeras citações literárias e disse afoita: “ – Ah, Dra., eu já ouvi falar deste livro. Quem o escreveu?”, e ela respondeu “ – Foi Jesus Cristo, através da canalização de uma psicóloga americana”. Fiquei bastante chocada e decepcionada, foi como se eu tivesse levado literalmente um banho de água fria. Jesus Cristo? Como poderia? Apesar da inquestionável integridade moral da “minha fonte”, julguei aquela informação absurda e saí do consultório toda desconfiada, pois soava muito pretensiosa para mim, porque, na minha cabeça, se Jesus Cristo se dignasse a enviar uma mensagem para a Terra, com certeza, seria para dar uma grande bronca na humanidade e dizer que estava tudo errado.

Mas, se por um lado não conseguia acreditar no que tinha ouvido, por outro fiquei muito curiosa com aquela informação estranha da qual não conseguia me desligar. Acabei não resistindo e, no dia seguinte, fui a uma livraria especializada. Chegando lá, pedi o livro sem rodeios, abri aleatoriamente e bati o olho na frase “…o oposto do amor é o medo, mas o que tudo abrange não pode ter opostos.” . Achei tão linda a mensagem! Me tocou tanto, que esqueci a resistência e comprei o livro no ato.

Bem, isso foi há dois anos e desde a primeira leitura mais atenta me convenci plenamente de que o gênio humano não seria capaz de produzir aquele texto de tamanha beleza, poesia, sabedoria, e de um conhecimento tão profundo e libertador que só poderia advir mesmo de um Ser tão Iluminado como o Mestre! Portanto, definitivamente, no meu ponto de vista, não se trata de um embuste. Ao contrário do que eu imaginava, Jesus fala veementemente do imenso AMOR de Deus pelos seus Filhos e da necessidade de fazê-los perceber a sua inocência para libertá-los de qualquer idéia de culpa e separação, tão comuns no estado ilusório da mente em que costumamos interagir automaticamente com o mundo à nossa volta.

Muito embora eu me considere uma caloura do UCEM, já consigo me beneficiar em muito dos seus ensinamentos, porque, com a leitura constante, o estudante consegue perceber com mais facilidade as armadilhas do ego – a nossa fantasia de identidade separada da Luz e dos nosso semelhantes que precisa atacar os demais para se defender das suas próprias projeções sombrias na sua realidade vivida neste planeta – e, com isso, a partir da renúncia à ilusão, retornar mais rapidamente ao que o Curso chama de “percepção correta da mente” a fim de recuperar a paz interior, temporariamente obscurecida, mas nunca perdida.

A leitura do UCEM me agrada sob vários aspectos! O seu discurso é bastante lógico e esclarecedor, dando a impressão, muitas vezes, que dialoga com o estudante, respondendo por antecipação às suas dúvidas de um modo direto e surpreendente! Além de ser rico em belas passagens, em que é possível sentir um sereno alento espiritual e a certeza de que realmente não se caminha só, o Curso fala de coisas bonitas como amor, perdão, cura e compaixão e dessa Unidade Sagrada que todos nós formamos pelo simples fato de sermos Filhos de Deus.

Como o próprio livro adverte, seu conteúdo não serve para todas as pessoas, por isso, fico muitíssimo grata a Deus por esse presente em minha vida, apesar dos desafios diários, às vezes bem difíceis, em que procuro entregar, ainda com resistência, a minha compreensão limitada das coisas para ser modificada e corrigida pelo Mestre Jesus.

Para finalizar, eu só posso torcer por mais essa divulgação do UCEM para que mais e mais pessoas se beneficiem também desta poderosa ferramenta espiritual, mas na confiança de que Deus sabe o que é bom para cada um de seus Filhos a quem Ele nunca desampara, de nenhum modo…Torço para que todos encontrem o seu caminho para a PAZ!